Nos últimos dias tomei conhecimento que o Conselho Nacional de Educação, ao discutir mais uma vez as diretrizes curriculares da formação superior em Educação Física, apresentou uma proposta que claramente atenta contra a qualidade da formação desses profissionais, sendo um retrocesso na capacidade de atuação junto à população.

A exemplo de biologia, história, filosofia, matemática, química, física, geografia entre outras, a Educação Física também precisa de uma sólida e consistente formação na licenciatura, que capacite os egressos a atuar no meio escolar, bem como precisa de uma específica e não menos complexa, formação no bacharelado, que capacite para a atuação no treinamento esportivo, treinamento personalizado, manutenção da saúde e etc.

A extinção do curso de bacharelado em Educação Física, proposta pelo CNE, é exatamente o oposto do que precisa a sociedade, é importante que o Conselho Nacional de Educação zele pela qualidade dos cursos de formação em nível superior, para que o cidadão tenha certeza que será sempre atendido com segurança e competência por alguém tenha tido uma formação adequada, uma vez que é evidente a significativa participação do profissional de Educação Física na qualidade de vida e bem-estar das pessoas.

Pelo bem da sociedade, torço que esta proposta não se concretize e os profissionais de Educação Física, reconhecidos como profissionais da saúde e/ou da educação, continuem tendo formações adequadas e específicas para suas diferentes áreas de atuação.

Deputada Estadual Alessandra Campêlo (PC do B – AM)
Foto: Bigstock

Print Friendly, PDF & Email

 Este post não tem tags para mostrar.