O secretário nacional da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), Rogério Sampaio, campeão Olímpico de Barcelona 92, esteve no CREF4/SP ontem (29), para apresentar a intenção de Acordo de Cooperação. O convite foi feito pelo conselheiro Marcelo Casati. Participaram da reunião os conselheiros Nelson Leme da Silva Junior (presidente), Pedro Roberto Pereira de Souza (1º vice), Rialdo Tavares (2º vice), Marcelo Vasques Casati (1º secretário), Jose Medalha (2º secretário), Humberto Panzetti (1º tesoureiro) e Antônio Lourival Lourenço (2º tesoureiro).

O objetivo é desenvolver palestras que levem informações sobre o tema do doping aos cerca de 130 mil Profissionais de Educação Física registrados em São Paulo.

“Queremos informar não apenas aqueles que trabalham com atletas competidores, mas também os que atuam dentro das academias e das escolas”, afirmou o secretário.

Rogério Sampaio entende que é o Profissional de Educação Física que leva a informação aos atletas, alunos, escola básica e, também, para dentro das academias. “Ter uma linha de contato maior com esses profissionais é fundamental para que não tenhamos a utilização indiscriminada de substâncias proibidas. O melhor caminho para atingir esses profissionais é através dos CREFs”.

A ABCD já firmou acordo com o Conselho Federal de Educação Física – CONFEF, mas viabilizando o mesmo, nos próximos dias, com o Regional de São Paulo, objetiva aproximar ainda mais essas informações dos profissionais. Luiz Celso Giacomini, diretor do Departamento de Informação e Educação da ABCD, também participará da próxima reunião.

O Comitê Brasileiro de Clubes já assinou o Acordo de Cooperação com a ABCD e, segundo Rogério Sampaio, em breve, outros virão, pois “a toda entidade representativa que tem uma atuação forte na atividade esportiva e física deve interessar a parceria”.

Mais informações sobre Doping podem ser acessadas no site da Autoridade Brasileira de Controle e Dopagem.

“Todo profissional deve buscar informações sobre o doping no esporte e a utilização de substâncias proibidas, que pode levar a punições severas no caso de atletas competidores e, também, a uma piora na saúde do praticante, a médio e longo prazo”.

Rogério Sampaio, campeão Olímpico de Barcelona 92, secretário nacional da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD)

Por: CREF4/SP

Print Friendly, PDF & Email

 Este post não tem tags para mostrar.