Erausto_Divida_Ativa
Funcionário Erausto de Faria |  Foto: CREF4/SP

Os Departamentos de Execução Fiscal e Controle de Arrecadação do CREF4/SP e o funcionário Erausto de Faria foram destaque no clipping de notícias do Tribunal Regional Federal da 3ª Região em razão da parceria firmada com a Central de Conciliação (Cecon) da Subseção Judiciária de Araçatuba/SP para a realização de mutirão de audiências de conciliação à distância, via Skype. A solução foi proposta pelo CREF4/SP como forma de otimização de tempo e custos tanto para a Justiça quanto para o CREF4/SP.

A Cecon de Araçatuba pautou 60 das 100 execuções fiscais distribuídas no início de 2016. As sessões de conciliação alcançaram acordo em 82% dos casos e contaram com a presença de 45 dos 60 executados, com 37 parcelamentos de débito pactuados com o CREFSP.

Ganhou destaque na notícia as considerações elogiosas feitas pelo Juiz Federal Pedro Luís Piedade Novaes, Coordenador da Cecon de Araçatuba ao funcionário do CREF4/SP Erausto de Faria, que conduziu as audiências na qualidade de preposto: “Merece destaque o profissionalismo do preposto do CREFSP, Erausto de Faria, que em muito contribuiu para que cada uma das sessões transcorresse em clima de sinceridade, paciência, cordialidade e respeito mútuo, circunstâncias essas que contribuíram enormemente para bom êxito da conciliação”

As audiências de conciliação são realizadas com a participação de um conciliador, indicado pela Justiça Federal, um preposto e procurador do CREF4/SP, do Profissional de Educação Física convocado e do Juiz Federal.

Outros mutirões de conciliação foram realizados com a utilização do Skype em Franca. Em Osasco, o CREF4/SP participou do projeto piloto de audiências via Skype, que foi muito bem sucedido. Em agosto, será realizada, a pedido do CREF4/SP, um mutirão de Conciliação na Subseção de São José dos Campos.

Os mutirões de conciliação são organizados pela Justiça Federal e constituem etapa preliminar da execução fiscal, representando ótima oportunidade para o CREF4/SP e os devedores negociarem os débitos já ajuizados.

Clique AQUI para ler a íntegra da notícia

Print Friendly, PDF & Email

 Este post não tem tags para mostrar.