O Estado de São Paulo alcançou o sétimo título das Paralimpíadas Escolares do Comitê Paralímpico Brasileiro – CBP. É o quarto título seguido, após o pódio em 2015, 2016 e 2017. A equipe paulista fez 1.094 pontos, conquistados principalmente pelo desempenho em modalidades individuais, como a natação e o atletismo, e coletivos, como o futebol de 5 (para cegos) e o futebol de 7 (paralisados cerebrais). São Paulo participou com a maior delegação – 118 atletas. O segundo lugar, Santa Catarina, registrou 444 pontos e superou o terceiro lugar – Distrito Federal, que fechou com 327 pontos, na terceira posição.  

Paralimpiadas Escolares 2018

A 12ª Paralimpíadas Escolares, organizada pelo CPB, aconteceu entre os dias 20 e 24 de novembro em São Paulo. O CREF4/SP marcou presença na abertura realizada no Pavilhão Oeste de Exposições do Anhembi, com a participação dos conselheiros diretores Tadeu Corrêa e José Medalha. “Foi uma satisfação participar da abertura do evento. Parabenizamos o Sr. Conrado Mizael pela forma que desenvolve seu trabalho à frente do CPB”, foram as palavras de Tadeu Corrêa. Para José Medalha, conquistar medalhas é um dos objetivos da revelação de talentos, mas o mais importante é usar o esporte como um grande fator de inclusão social. “Eles têm lugar de destaque na sociedade e eventos como este vêm a contribuir decisivamente para reforçar a sua importância”.

 Estiveram presentes a Dra. Linamara Rizzo Bapttistella, secretária de estado dos direitos da pessoa com deficiência de São Paulo – homenageada com o Prêmio “Amigos do Esporte”, Cid Torquato, secretário municipal da pessoa com deficiência e mobilidade reduzida, representando o prefeito Bruno Covas e Cacá Camargo, secretário de esporte, lazer e juventude do Estado de São Paulo; o presidente do CPB, Mizael Conrado, os vices-presidentes Ivaldo Brandão e Naíse Pedrosa, e o superintendente Nelson Hervey. Os velocistas e medalhistas paralímpicos Mateus Evangelista e Verônica Hipólito acenderam a pira paralímpica.

As provas, realizadas no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo, contaram com 989 atletas – de 12 a 17 anos, de 23 estados. Os únicos estados que não tiveram representantes nesta edição foram Rio de Janeiro, Piauí e Roraima.

Trata-se do maior evento esportivo do mundo para pessoas com deficiência em idade escolar. Como em 2017, a 12ª edição contou 11 modalidades: atletismo, bocha, basquete em cadeira de rodas (formato 3×3), futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (para paralisados cerebrais), goalball, judô, natação, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.

As Paralimpíadas Escolares, um dos principais e mais importantes eventos do CPB, servirá como seletiva para o Camping Escolar Paralímpico 2019, projeto que promove semanas de treinamento

intensivo para os jovens atletas. “Teremos atletas de todas as modalidades de volta ao CT, em janeiro, no Camping Escolar Paralímpico, no que certamente será um momento importante no desenvolvimento deles no esporte adaptado. Gostaria de parabenizar a delegação de São Paulo por mais uma conquista. Coroa o estado, que faz um excelente trabalho não somente no paradesporto, mas para todas as pessoas com deficiência”, disse Mizael Conrado, presidente do CPB.

Diversos talentos do paradesporto brasileiro já passaram pelas Escolares. Com esses trabalhos, uma das metas da CPB é que nos próximos Jogos, Tóquio 2020 e Paris 2024, o número de jovens atletas medalhistas aumente.

As Paralimpíadas Escolares contam com o apoio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo.

Crédito foto: CPB

Print Friendly, PDF & Email

 Este post não tem tags para mostrar.